e A tua relação está a pedir que tu evoluas - Joana Areias

A tua relação está a pedir que tu evoluas

A tua relação está a pedir que tu evoluas

Uma das frases que mais oiço dos meus clientes é “Joana, tu colocas as coisas de uma maneira que tudo fica a parecer muito mais simples.”

Confesso que é verdade, mas não o faço só para eles, faço-o também por mim por uma questão de sobrevivência emocional. Como pessoa emocional que sou, por vezes fico inundada de emoções e simplesmente não consigo pensar. Não consigo. Quando as emoções ocupam o meu espaço vital, é escusado, não consigo criar raciocínios. Só sei que sinto e sinto e sinto e pronto.

(Isto, para os senhores e senhoras mais mentais, pode parecer absurdo, por isso ignorem a primeira parte, porque o que vem a seguir serve para vocês também 😉)

Por isso, encontrar formas de simplificar as coisas e apenas vê-las pelo que elas são ajuda-me (e aos meus clientes também) a distanciar das minhas emoções e conseguir iniciar uma linha de pensamento lógico e mais simples.

Uma dessas simplificações passei a usar recentemente no contexto de conflitos dentro das relações. Sempre que começa a acontecer um determinado conflito numa relação, e principalmente se esse conflito se repete, pergunto-me:

O que é que este conflito, nesta relação, está a pedir que eu transforme em mim?

Se tens um determinado tipo de conflito numa relação que se repete, isso significa que os elementos que formam essa relação estão a insistir num determinado tipo de perspetiva sobre uma certa situação. Normalmente perspectivas opostas, caso contrário não haveria conflito.

Pedir para refletires em que medida essa relação está a pedir que te transformes, não significa que terás de concordar com a perspetiva da outra pessoa ou elemento da relação. Significa que há algo (ou algos) que tu estás a fazer ou a representar dentro da relação que está a criar este conflito. E isso precisa de mudar.

Vamos supor que tens um companheiro ciumento e isso está a criar muito conflito. Isso não quer dizer que deves aceitar as exigências do teu namorado e parares de vestir a roupa X ou deixares de tomar café com o amigo Y. Pode ser que sim, pode ser que não. Só tu vais saber o que é melhor para ti. Mas, por exemplo, a relação pode estar a pedir que tu te transformes numa pessoa que é mais assertiva com a sua liberdade e que não dá energia ao que os outros dizem sobre o que podes ou não fazer com a tua vida. Quem sabe?

Vamos supor que, deste por ti, e os teus pais decidiram fazer chantagem contigo e dizer que se não fazes o que eles acham que deves fazer, então não te ajudam mais a tomar conta dos teus filhos. Talvez esse conflito esteja a pedir que tu te transformes numa pessoa mais independente e que consegue encontrar os recursos que precisa para não ficar sujeita aos jogos de poder que acontecem entre ti e outras pessoas no geral. Quem sabe?

Imagina que adoras o teu trabalho, mas que ele te exige que fiques até às 21h no escritório e que ainda tragas trabalho para casa ao fim de semana. Imagina que, por isso, não consegues ter uma vida pessoal equilibrada e realizada e isso está a trazer-te angústia. Talvez essa relação com o teu trabalho esteja a pedir que tu te transformes numa pessoa que tem uma vida mais rica, com mais atividades, mais amigos, mais fontes de interesse e de prazer e por isso sejas mais disciplinada com o teu tempo pós-laboral. Quem sabe?

A verdade é que eu não faço ideia o que esse conflito te está a pedir, só tu podes saber. Mas basicamente fazeres esta pergunta a ti mesmo ajuda em duas coisas fundamentais:
1) Colocares-te em causa e responsabilizares-te pelos resultados que estás a ter dentro dessa relação. A responsabilidade é tua. Ponto.
2) Pensares de uma forma mais macro sobre a tua vida e sobre que tipo de desafio esta relação está a representar. Às vezes ficamos muito presos nas pequenas questões da discussão e não damos energia para pensar de forma mais abrangente sobre o que esse conflito diz sobre nós e sobre a pessoa que somos no geral em toda a nossa história de vida. Esta pergunta tira-te do “micro” da discussão e leva-te para, na minha opinião, uma discussão muito mais interessante: Que pessoa é que queres ser?

Chegar a uma resposta sobre o que a tua relação te está a pedir para transformares em ti não é tarefa fácil. Vai ser preciso que penses no assunto de várias perspetivas com empenho e vontade. Isto porque fazer este raciocínio pode ser simples, mas chegar a conclusões empoderadoras e posteriormente aplicá-las na prática não tem nada de fácil.

Eu disse que gostava de simplificar as coisas, não disse que gostava de facilitar as coisas 😃

Espero sinceramente que esta pequena pergunta te ajude como me tem ajudado a mim.

O que é que este conflito, nesta relação, está a pedir que eu transforme em mim?

Tem um lindo dia!
Jo 💙