Um conto de amor

Um conto de amor

Um conto de amor

 

“Sabes uma coisa?” … perguntava ela desviando o seu olhar para ele enquanto se aninhava no seu peito.

Ele acenou com a cabeça como que dizendo que queria saber mais sobre o que ela estava a pensar. Ele adorava quando ela tinha coisas novas para lhe contar sobre si…

“Foi quando estive apaixonada que tive os melhores momentos da minha vida. Essas foram as melhores fases de sempre, para mim. As fases em que fui mais feliz.”

Ele sorriu beijando a sua testa e disse: “Claro que sim, tu és Amor … toda tu, és Amor. Ninguém sabe amar como tu e eu … eu nunca amei assim.”

Ficaram em silêncio durante uns minutos deslizando os seus dedos pelos braços de um, pelo peito do outro.

“Sabes outra coisa?” Disse ela com um sorriso divertido como que a desafiá-lo.

Ele estava a achar graça e, disfarçando a curiosidade, disse “O quê?”

“Os momentos da minha vida em que estive mais apaixonada e feliz foram também aqueles em que me sentia mais grata. Como se o meu coração estivesse cheio, quase, quase a explodir de tanto amor e gratidão. Como se estivesse sempre pronta a olhar para o céu e agradecer e pudesse jurar a pés juntos que naquele momento ninguém no mundo era mais feliz do que eu … Sabes do que estou a falar?” – disse sentando-se na cama e falando com entusiasmo.

Só para a provocar ele olhou para o tecto do quarto com um ar pensativo e disse “Não, não sei do que estás a falar”. A gargalhada dele encheu o quarto de luz e ela fingiu-se de ofendida enquanto lhe fazia cócegas.

Depois de se beijarem a abraçarem ele disse “O que achas de seres o meu amor de Verão para sempre e fazermos esta gratidão durar para toda a vida?”

“Mas estamos no Inverno!” afirmou ela a provocá-lo. Riram-se juntos e ela acrescentou “Sim!!! O que achas que é preciso? O que achas que é preciso para fazer esta gratidão durar para toda a vida?”

“Querer …”

“Querer???”

“Sim, querer… Queres?”

“Quero, quero muito. Quero tanto …”

“Eu sei que tu queres, eu sinto … e também sinto que basta isso … Querer”

O tempo passou e naquele lugar foi Verão todos os dias, todos os anos, toda a vida … naquele lugar ambos quiseram e por isso ambos foram.

Desejo-te uma linda noite de Verão … quer queiras, quer não 🙂

Jo ♥

 

(Texto escrito no meu perfil de facebook num daqueles momentos de inspiração que me apetece partilhar com o mundo 🙂 )

 

Photo by: Hugo Macedo

 

 

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *