Que decisões tomar para o trabalho de sonho? – Artigo Publicado na Revista Progredir, Jan2015

Que decisões tomar para criar o meu trabalho de sonho?

 

 

Com as muitas dezenas de pessoas com quem já trabalhei na área da descoberta do propósito de vida e da criação do trabalho de sonho, existe uma frase que se encontra presente em muitos desses encontros e sessões de coaching.

“Eu nunca fui daquelas pessoas que desde sempre souberam o que queriam ser quando fossem grandes. Sempre admirei essas pessoas e tenho pena de não poder ser assim.”

Sempre que oiço esta frase lembro-me de quando eu a dizia a mim mesma e de como ela me trazia uma certa sensação de impotência inevitável. Esta frase insinuava que eu não tinha sido abençoada com a clareza de espírito necessária para saber o que gostaria de fazer com a minha vida e, por isso mesmo, deixava-me despida de recursos para fazer essa descoberta…

Será possível que uma frase que dizemos a nós próprios nos deixe neste falso estado de incapacidade. Parece incrível como assumimos certas crenças como verdadeiras e, consequentemente, tornamo-nos reféns das nossas próprias mentiras.

É por isso que hoje venho escrever-lhe sobre decisões difíceis

Aquilo que inicialmente distingue as pessoas que vivem o seu Propósito e têm um trabalho de sonho das que ainda não o fazem é que as primeiras assumem realmente aquilo que gostariam de fazer e tomam uma decisão consciente de o fazer.

Uma descoberta verdadeiramente reveladora que fiz durante o meu trabalho como Purpose Coach é que, de todas as pessoas que me procuram para descobrir o seu propósito de vida e criar o seu trabalho de sonho, uma grande maioria na verdade já sabe ou tem alguma ideia daquilo que gostaria de fazer na sua vida. O que acontece é que, até àquele momento em se sentam, provavelmente pela primeira vez, com alguém que lhes faz as perguntas certas sem nenhum tipo de julgamento ou interesse pessoal, a maioria das pessoas nunca tinha colocado a hipótese de se dedicar à pintura, ao design de moda, à ação social ou ao tarot. Aquilo que percebi é que a maior parte das pessoas já sabe qual é o seu Propósito de Vida e como gostariam de passar os seus dias, mas não consegue assumir isso como uma possibilidade real. Talvez porque “Já tenho 50 anos e agora já não faz sentido”, talvez porque “Estive 10 anos a estudar outra coisa e agora não posso abandonar tudo”, talvez porque “Nem consigo imaginar o que a minha família, amigos e colegas de trabalho iriam dizer”, ou ainda porque “Este tipo de trabalho não traz dinheiro”.

Ora aí é que reside a grande diferença e aquilo que pode ainda estar a impedi-lo de viver a vida com o seu Propósito de Vida …

Primeiro pode não estar a dar ouvidos à sua própria vontade, depois pode não estar a dar-lhe o devido valor, depois pode não acreditar nela como uma possibilidade real e, finalmente, pode não estar disponível para tomar decisões difíceis…

A ideia que temos é que as pessoas que sabem o que gostariam de fazer têm uma vida muito facilitada porque são apaixonadas pelo que fazem, mas isso não é necessariamente verdade ou, pelo menos, esse é apenas um dos lados da verdade.

As pessoas que escolhem viver a vida com o seu Propósito de Vida tomam diariamente decisões muito difíceis.

Decidem que vão ouvir realmente a sua intuição, o seu coração ou a sua vontade, chamemos-lhe o que quiser. Mas estas pessoas decidem que se há algo que está a ressoar dentro de si isso merece ser analisado com atenção. No entanto, elas sabem que, para se ouvirem sem julgamento, vão ter de tomar a decisão difícil de colocar em causa algumas coisas dentro de si e no seu ambiente, vão ter de questionar algumas “verdades” até então inquestionáveis…

Como seria se começasse a colocar algumas coisas em causa, coisas que para si sempre foram verdades absolutas? Parece-lhe fácil?

Estas pessoas tomam consistentemente a decisão de viver a própria vida independentemente daquilo que lhes disseram que é suposto ou mesmo daquilo que acreditaram em tempos que a sua vida deveria ser. Estas pessoas são fieis a si próprias e acreditam que as escolhas que fizerem com consciência, relativamente às suas próprias vidas, vão ser sempre escolhas acertadas ou, no mínimo, possibilidades merecedoras de serem colocadas. No entanto, sabem que isso poderá ter implicações nos seus relacionamentos, na forma como vivem os seus dias, ou ainda no investimento que vão ter de fazer e, mesmo assim, escolhem fazê-lo…

Já se imaginou a romper com o expectável e a tomar decisões que o realizam independentemente de tudo o resto, mesmo do seu conforto e segurança? Será isto fácil de fazer?

As pessoas que vivem o seu Propósito de Vida podem ter de tomar a difícil decisão de começar do Zero… Começar do início aos 35, aos 48 ou aos 53 anos de idade não é de todo tarefa fácil. No entanto para elas, o tempo que já passou não é o mais importante, mas sim o que vão fazer com o tempo que lhes resta.

Como seria para si, começar agora algo de novo? Acha que seria uma decisão difícil?

Estas pessoas tomam diariamente a difícil decisão de acreditar que, independentemente da forma e do momento, elas vão fazer acontecer aquilo que querem. Seja viver o seu propósito de forma voluntária, seja ganhar a sua vida com isso. Estas pessoas acreditam que fazer desta atividade a sua profissão depende exclusivamente de si e, por isso mesmo, todos os dias fazem a escolha difícil de se aproximarem um pouco mais desse momento. A decisão difícil de se colocarem em causa e de se questionarem sobre o que poderiam fazer mais, o que poderiam fazer de diferente para chegarem um pouco mais perto…

Já imaginou como seria se todos os dias tivesse de se desafiar um pouco mais, ir um pouco mais longe?

Por tudo isto, se até agora pensava que viver a vida com o Propósito de Vida não era para toda a gente, estava certo, mas não pelas razões que inicialmente considerava. Todas as pessoas têm o potencial para o fazer, no entanto, apenas algumas pessoas conseguem efetivamente tomar as decisões difíceis que são necessárias para o fazer. As pessoas que vivem a vida com o Propósito de Vida tomam essas decisões diariamente e têm plena consciência do que podem ter de abdicar para o fazer.

Viver o seu Propósito de Vida é de facto algo muito desafiante, difícil e até exaustivo, mas pode ser a origem de uma felicidade maravilhosamente inexplicável. As pessoas que o vivem dão uma importância prioritária a esse sentimento e a esse momento … O momento em que são livres para fazer o que mais amam e livres para deixar o mundo mais rico com a sua presença.

Se é uma destas pessoas, quero agradecer-lhe … tenho a certeza que graças a si, o mundo é um lugar melhor.

Se ainda não escolheu ser uma destas pessoas deixo-lhe uma pergunta … Como está a sua vida atualmente com as decisões que tomou até agora? Difícil?

Até breve.
Joana Areias
Purpose Coach
www.joanaareias.com
coach@joanaareias.com

Artigo publicado na Revista Progredir, Janeiro 2015 

 

 

One Comment

  1. 1-28-2015

    Eu sempre sonhei em ser alguém na minha vida, em mudar algo, mas vivia no mundo dos sonhos, quando criança queria ser medica, mas descobri que tinha pavor a sangue, depois queria ser pediatra e mais uma vez desisti, me formei em administração de empresa no nível médio e técnico, como não tinha encontrado trabalho, dava aulas de reforço pela manha e tarde a 11 alunos, quando fui chamada para o meu primeiro emprego na empresa de Correios. hoje tenho 59 anos, fiz vestibular três vezes para administração com ênfase em Marketing, larguei no meio do caminho, por doença, sair do trabalho para estudar, cuidar da casa, filho, marido.Fui deixando para trás todos os meus sonhos, fui ficando na empresa procurando dar ideias melhorar, mas não cheguei aonde queria, hoje tenho 31 anos de empresa e meus sonhos ficaram no sonho.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *