Os 6 mitos que o estão a impedir de viver a vida com o Propósito de Vida – Artigo publicado Revista Zen Energy, Fev. 2015

Será que sou só eu … que às vezes acredito em Mentiras?

 

Descobrir como viver a vida com o seu Propósito de Vida, nem sempre é uma tarefa fácil.

Este processo exige um trabalho de profunda introspeção e autoanálise para que consiga definir exatamente o significado que quer dar à sua vida, a forma como quer manifestar esse significado na prática e finalmente o ambiente e condições em que quer estar envolvido para o fazer.

Este processo implica alguma dedicação e, muitas vezes o apoio de alguém especializado que saiba exatamente o que fazer para o ajudar neste percurso.

No entanto, e só para complicar um processo que já por si é complexo, entram em ação numerosas crenças que nos foram incutidas pela sociedade, pelo nosso ambiente familiar ou por nós próprios. Estas crenças limitadoras ou Mitos são, pela minha experiência, os principais motivos pelos quais muitas pessoas nunca chegam a descobrir a sua verdadeira missão e a criar o seu trabalho de sonho.

 

MITO 1 – “Só alguns sortudos descobrem a sua missão”

Descobrir a missão e criar o trabalho de sonho não é uma sorte, mas sim um processo que algumas pessoas fazem com mais facilidade do que outras.

Fazer este percurso é como desenvolver qualquer outra capacidade, como por exemplo, aprender a andar. Algumas crianças quase nem chegam a gatinhar, parece que nasceram a andar, outras precisam de mais tempo e isso não é motivo para desistirmos delas e deixarmos de acreditar que algum dia irão conseguir fazê-lo.

Por isso, a facilidade com que conseguimos chegar a uma conclusão sobre o nosso Propósito de Vida, nada tem a ver com sorte ou com uma incapacidade nossa, mas sim com a determinação com que nos dedicamos a esse processo.

Descobrir a missão e criar o trabalho de sonho está ao seu alcance.

 

MITO 2 – “Eu não tenho nenhum dom especial nem artístico”

A sua missão de vida não tem de estar necessariamente relacionada com algum tipo de trabalho artístico. Este mito surge porque observamos frequentemente profissionais do mundo das artes a manifestarem a sua felicidade e realização profissional e muito menos frequentemente verificamos essa satisfação no mundo que nos rodeia.

Também é provável que não esteja a considerar os seus dons como algo valioso, simplesmente porque atualmente ainda não concebeu nenhuma utilidade palpável para esses dons.

No entanto, apesar de eventualmente não ter uma capacidade vocal acima da média, ou uma predisposição especial para a pintura, pode ter uma capacidade excepcional para criar empatia com terceiros ou para gerar momentos de diversão ou de conforto a outras pessoas.

As suas capacidades inatas, que para si são fáceis, poderão ser uma bênção para outras pessoas que as têm pouco desenvolvidas. Por isso, aquilo que está hoje a desvalorizar em si, pode ser extremamente valorizado por outras pessoas.

Todos os seus dons são especiais.

 

MITO 3 – “O que eu gostava de fazer não dá dinheiro, por isso nem vale a pena pensar nisso”

O mundo está em constante mudança e aquilo que hoje é verdade, amanhã está obsoleto. Por isso, uma das coisas que mais me preocupa é ver os pais de jovens na idade de iniciarem as suas escolhas profissionais a dizerem … “Não vás para esse curso porque isso não dá emprego”.

É impossível prever aquilo que vai acontecer no mundo daqui a 1 semana, quanto mais daqui a 4 ou 5 anos quando um jovem terminar a licenciatura.

Aquilo que há uns anos considerávamos que era a estabilidade (ser efetivo, por exemplo) é hoje aquilo que mais instabilidade traz à vida das pessoas. A única estabilidade possível, e com a qual pode contar, é com a sua força de vontade e determinação.

Por isso, para o seu filho e para si, que está a considerar mudar radicalmente a sua vida profissional, a minha sugestão é que escolha algo que a apaixone. Nesse estado de inspiração de certeza que vai encontrar a forma certa de ter o retorno financeiro necessário para viver a sua vida com tranquilidade.

Não há maior estabilidade do que depender inteiramente de si.

 

MITO 4 – “Trabalho é esforço e sacrifício. Só com sacrifício posso merecer o dinheiro que ganho”

“Trabalho é trabalho, conhaque é conhaque”. Quantas vezes já ouviu esta frase na sua vida? E ainda se pergunta porque é que tem esta crença dentro de si. Pois esta crença subentende que o trabalho não tem de, nem deve, dar prazer. Caso contrário não é trabalho a sério … é conhaque … o que quer que seja que isso signifique.

Outra coisa é o merecimento. É verdade que aquilo que conseguimos com o suor do nosso rosto tem um sabor especial e oferece-nos uma grande sensação de concretização. Mas viver a vida com o Propósito de Vida não é um passeio no parque.

Apesar de ter um grande prazer e felicidade a fazer o que faz, vai continuar a chegar a casa cansado e a sentir que está a dar o seu melhor. No entanto, para além desse cansaço, vai chegar a casa também com uma sensação de que está no lugar certo a fazer a coisa certa. A sensação de que encontrou o seu lugar no mundo.

Nada o torna mais merecedor do que estar a cumprir a sua missão.

 

MITO 5 – “Para viver a vida com o Propósito de Vida tenho de largar tudo e começar de novo e isso é muito arriscado”

Viver a vida com o propósito de vida é tão arriscado como qualquer outradecisão que tome na sua vida. Pode correr bem, pode correr mal, mas para garantir que tudo corre bem uma das coisas a evitar é “Queimar os barcos”, pelo menos numa fase inicial.

Isto quer dizer que não convém atirar-se de cabeça e começar este processo por largar o seu trabalho atual ou fechar a sua empresa. Esta abordagem de “Agora, ou vai ou vai, não há outra hipótese”, muitas vezes, leva a pessoa a ver-se perante a possibilidade de, passado pouco tempo, ficar sem recursos financeiros para viver a sua vida e, consequentemente, bloquear.

Antes de viver a vida com a sua missão, tem de assegurar que vai conseguir continuar a gerir as suas responsabilidades, porque antes do prazer e da realização profissional está sempre a sobrevivência.

Por isso, o que sugiro aos meus clientes é que, em conjunto, construamos o seu novo trabalho de sonho e, aos poucos, à medida que esta nova possibilidade vá tomando forma, ir largando a antiga atividade de forma segura e sustentável.

Deve preparar esta mudança e, dessa forma, nunca vai estar a começar do zero.

 

MITO 6 – “Eu não acredito…”

Este mito é transversal a todos os outros mitos. Se não acreditar que é possível para si descobrir o seu Propósito de Vida é bem provável que não o descubra.

Se não acreditar que tem dons importantes e valiosos para outras pessoas e para a comunidade, é porque provavelmente tem toda a razão.

Se não acreditar que tem dentro de si a capacidade de fazer da atividade que mais ama algo rentável para si, mesmo que hoje ainda não saiba como, então garantidamente não vai conseguir.

Se não acreditar que o mundo é um local de abundância e que, por isso, merece todos os recursos pelos quais trabalhou, é natural que não os alcance de todo.

Finalmente, se não acreditar que consegue criar uma estrutura sólida que lhe permita libertar-se progressivamente da atividade que já não o inspira, o melhor é mesmo nem tentar.

Acredite no que acreditar, vai estar certo. Acredite no que acreditar, essa vai ser a realidade que vai criar para si.

Sugiro que encontre algo ou alguém que o ajude a acreditar e, de repente como se fosse magia, algo dentro de si muda e começa a acreditar que é capaz. Por vezes, ter alguém connosco que acredita em nós mais do que nós próprios e que nos faz sentir protegidos é um tesouro precioso que nos ajuda a colocar a armadura e a ir em frente quando tudo o que nos apetecia fazer era fugir.

Escolha acreditar em si 🙂

Até breve.

A sua Coach,
Joana Areias
coach@joanaareias.com

 

Artigo Publicado em Revista Zen Energy de Fev 2015, nº 73, Ano VII

2 Comments

  1. 5-30-2016

    Adorei esta mensagem Joana è verdade que sei que devo ter um dom porque muitas vezes sinto algo estranho em mim que não sei explicar mas gostava de poder descobrir mais sobretudo sobre a minha profissão tenho dias que sinto que é isto quero mas tenho outros que acho que já não pertenço a este sitio e que devo seguir outro caminho mas falta me a coragem muito obrigada pela sua mensagem grata

  2. 8-5-2015

    Obrigada por mandar esse imail,palavras que fizeram cair fichas,estou grata que Deus te abençõe.

    Junia viana

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *