O que é “Suposto” – Liberdade ou Condicionamento?

Será que sou só eu … que vejo um mundo infinito de possibilidades?

 

Quando olho para alguém, olho para um enorme aglomerado de infinitas possibilidades. O universo criou-nos como seres fabulosos e cheios de potencial. Cada um de nós representa um sem número de oportunidades e potencialidades que quando utilizadas e aproveitadas no momento certo podem revelar-se de formas magníficas, inimagináveis e às vezes um pouco loucas.

 

A coisa mais triste que existe é olhar para alguém com essa mesma sensação de infinititude e perceber que, por algum motivo, essa pessoa se condiciona a viver todo esse potencial maravilhoso. Nada me entristece mais do que me deparar com alguém que poderia viver tudo o que quisesse, ser o que quisesse, mas se limita pelos mais variados motivos.

 

Não há maior tristeza do que viver uma vida aquém…

 

Aquém de quem somos, aquém de tudo o que podemos viver, aquém de todas as experiências maravilhosas que poderíamos ter, aquém do amor, aquém da felicidade, aquém da plenitude, aquém da paixão, aquém de si. Na maioria das vezes nem nos apercebemos de que estamos a viver assim, simplesmente achamos que é dessa forma que devemos viver. É dessa forma que é “suposto”. O que é Suposto? O que é que isso significa afinal? No dicionário são considerados sinónimos de “Suposto” palavras como “fictício, figurado, hipotético e imaginário”. A minha questão é porque é que insistimos em viver num carreirinho de decisões que foram tomadas por outras pessoas e ainda por cima de forma fictícia, figurada, imaginária e portanto vazias de significado individual.

 

Imagino só como será chegar ao final da nossa vida e pensar “Foi só isto?”. Chegar a esse momento em que percebemos que estamos no fim da linha e pensarmos em tudo o que poderíamos ter sido, em tudo o que poderíamos ter vivido. Calculo que nesse momento tudo ficará mais simples. As dúvidas e questões que noutros tempos nos atormentaram, simplesmente desvanecem e tornam claras as razões porque estivemos neste mundo. Penso que nesse momento o verdadeiramente importante será quão felizes fomos e quão felizes fizemos as pessoas à nossa volta. Por isso a questão que se coloca é: Quão feliz tens sido nos últimos dias? Nas ultimas semanas? Nos últimos meses?

 

Por isso, sai de casa, dança à chuva, experimenta um novo prato, come com as mãos e lambe o dedos, ri até te doer a barriga, faz amor ao luar, bate palmas por cima da cabeça, conta novidades aos teus amigos, dá abraços de pelo menos 30 segundos às pessoas especiais e mergulha no mar numa noite de verão. Faz o que tiveres de fazer, mas vive a Tua vida, a vida que queres para ti 🙂
Até breve,
A sua Coach
Joana Areias

8 Comments

  1. 7-30-2015

    Muito obrigado pelo seu texto.

    Muito real e inspirador. Todos nós procuramos o nosso CAMINHO. a Joana com os seus textos e as suas mensagens, tem contribuído em grande medida para esta minha Caminhada. Muito obrigado.

  2. 2-23-2014

    ANA VOCE E MUITO IMPORTANTE P\ AS PESSOAS,P\ MIM TU ME ESPIRA A DEIXA O DIA AMÃNHECER E AS OPORTUNIDADE APARECER.A CADA UMA DA SUA MENSAGEM ME FAZEM PENSAR QUE NÃO ESTOU SÓ MAS AMIGOS COMO VOCE E JOSE ESTÃO DO MEU LADO.UM ABRAÇO COM MUITO CARINHO

  3. 2-20-2014

    Estive em condicionamento não apenas dias, semanas, meses. Mas anos. Porem estou em vias de percorrer outros caminhos para a liberdade, para a felicidade, para viver a minha vida como eu gostaria de vivê-la. Obrigada por me fazer companhia nessa Nova trilha.beijinhos.

  4. 2-19-2014

    É incrível como são os chamados “momentos apropriados” para determinadas coisas. Hoje, e pra ser exatamente mais preciso as 15:26 de 19/02/14 estas palavras surgiram como mais que um incentivo, foi uma renovação em todos os aspectos de minha vida. E a resposta de algo que eu pensava, foi respondida no decorrer desta leitura muito proveitosa.

    sucesso!!!

  5. 2-19-2014

    Infelizmente andamos tão apressados que por vezes nem percebemos o quanto nos aprisionamos, e deixamos de viver com medo do ridículo, quando na verdade ridículo mesmo é deixar de viver! Beijos.

  6. 2-3-2014

    Sentir Sentir . Fomos castrados pela NORMALIDADE na capacidade de sentir. Porque é pecado ou faz mal à saúde. Deixamos de pensar pela nossa cabeça. Só percebemos isso quando temos coragem de saltar á chuva de língua de fora para sentir a água. Quando somos capazes de ser crianças e encharcarmos os sapatos numa poça de agua. Quando REPARAMOS no por do sol ou na imensidão do mar sem pensar apenas na odisseia. Quando deixarmos de ver as pessoas apenas para nos desviarmos delas . REPAREM não vejam só! Sentir Sentir Sentir

  7. 11-28-2013

    Você conseguiu resumir minha vida com a primeira parte desse artigo, tenho fé porém, de revertê-la para a segunda parte. Obrigada pela força dessas palavras.

  8. 11-25-2013

    GOSTEI e MUITO! Bjs

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *