Felicidade – Uma decisão diária

Felicidade – Uma decisão diária

Será que sou só eu … que tenho este poder?

Houve um dia em que decidi que ia ser Feliz.
Comecei por me questionar acerca do que isso significava exatamente para mim. Percebi que a minha felicidade depende exclusivamente de mim, das decisões que tomo na minha vida e da maneira como essas decisões estão de acordo com aquilo que são os meus valores.
É obvio que acontecem coisas más na vida de todas as pessoas e que isso nos pode abalar, mas a verdade é que para pessoas diferentes, a mesma situação pode ter interpretações totalmente opostas. Por esse motivo, acredito que não são as situações de vida que influenciam a nossa felicidade, mas sim a decisão de sermos felizes que influencia o significado que damos às coisas.

No entanto, quando decidi que ia ser Feliz assumi uma responsabilidade para comigo e para com as outras pessoas. De repente, parecia que não podia voltar atrás. Sentia a necessidade de resignificar todas as coisinhas chatas que me aconteciam. Comecei a aperceber-me de que as pessoas que me rodeiam dizem “Para ti é fácil ser Feliz, olha só para a pessoa que és, as coisas que fazes e aquilo que já atingiste!”. Quando oiço estas palavras, ou outras como estas, primeiro fico lisonjeada, depois fico preocupada. Fico preocupada porque percebo que se calhar passo a imagem de que é fácil. Passo a ideia de que sou especial ou de que tenho um gene específico que me pemite ser diferente. Mas a verdade é que isso é totalmente descabido. Tal como qualquer outra pessoa, tenho dias maus, alturas em que me apetece fugir e desistir de tudo. Da mesma forma que qualquer outro ser humano tenho desilusões, inseguranças, tristezas e dificuldades.

No outro dia, fui almocar com uma amiga e depois de ela partilhar comigo algumas das suas preocupações decidi falar-lhe de uma questão pessoal que me estava a incomodar . Fiquei impressionada com a resposta dela. Ela disse: “Joana, tu não, tu não!”, como se de uma impossibilidade se tratasse o facto de eu estar com um problema pessoal com o qual estava a ter dificuldade em lidar. “Tu não, tu não!”, isto ficou-me na cabeça. “Tu não, tu não!”, que imagem ando eu a transmitir às pessoas.

Ser Feliz não é de todo um trabalho fácil, é uma decisão diária, constante e da qual me tenho de relembrar a todo o momento.

Não é fácil, mas é simples.

É simples porque é apenas uma decisão com duas opções e que dependem exclusivamente de cada um de nós. Mas será que há dias em que decido não ser feliz?. Claro que sim! Há dias em que decido “Hoje vou curtir a minha neura”, “Hoje vou dar largas ao mau feitio e desistir de tudo por um momento”. É uma decisão … e, por acaso, habitualmente, no dia seguinte decido que já chega. “Enough is enough!”

Quando comecei a estudar desenvolvimento pessoal lembro-me de ter pensado se seria requisito obrigatório ter tido uma infância infeliz ou uma situação traumática na vida para se ser uma pessoa de sucesso. Isto porque quando olhamos para a história de vida das pessoas de sucesso, parece que muitas vezes partem de uma posição de desvantagem. Se fosse esse o caso eu estaria, aí sim, em maus lençois porque no meu caso,  quando olho para a minha vida, não consigo encontrar nada realmente triste e avassalador. A pergunta que me coloco é “Será que sou abençoada por ter tido uma vida feliz, ou por ter desenvolvido a capacidade de olhar para a minha vida com carinho, felicidade e gratidão?”. Qualquer que seja a resposta, sou realmente abençoada, seja porque motivo for. Sou abençoada com o poder de escolher e tomar decisões.

O que será que vou decidir hoje? 🙂

 A sua Coach,
Joana Areias

 

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *