Dizer “Ambos” – A energia do dinheiro

Será que sou só eu … que digo “Ambos”?

 

O que preferias ser … Feliz e Pobrezinha OU Infeliz e Abastada?”.

 

Quando me fazem esta pergunta respondo sempre que preferia ser Feliz E Abastada. Normalmente a pessoa fica a olhar para mim com uma cara de admiração como se para ela fosse uma surpresa o facto de existir outra possibilidade.

Na área do desenvolvimento pessoal vejo muitas pessoas a escolherem o seu lado espiritual em detrimento da sua estabilidade financeira, como se para viver como um ser espiritual fosse obrigatório viver com dificuldades. Quando me dizem “O dinheiro para mim não é importante” a minha pergunta seguinte é “Estás com dificuldades financeiras, certo?” e normalmente recebo um embaraçado “Sim”.

Compreendo que estamos numa sociedade altamente consumista e que por vezes esse frenesim de estímulos nos afasta de nós mesmo e não estou de todo a defender esse estilo de vida. O que me custa compreender é a necessidade de dizer “OU” em vez de “E”, sendo que esta forma de pensar vem de uma perspetiva de escassez. Parece que muitas pessoas pensam que se forem abastadas isso implicará que outras pessoas vão ficar com dificuldades financeiras ou, ao contrário, é por haver pessoas abastadas que outros seres humanos estão com dificuldades financeiras. Não querendo entrar num debate ideológico, a verdade é que nenhum de nós pode ficar suficientemente pobre para que as pessoas à nossa volta fiquem abastadas. Assim como nenhum de nós pode ficar suficientemente deprimido para que alguém das nossas relações fique feliz. Isto quer dizer que por muito que nos prejudiquemos, isso não vai melhorar nada em nosso redor. Muito pelo contrário, é bem mais provável que quando começarmos a voar levemos as pessoas que amamos connosco. Se neste momento está a viver desafios nesta área, muito provavelmente é porque tem em si algumas destas crenças.

 

Que crenças limitadoras tem em relação ao dinheiro? Que frases ouvia dizer sobre o dinheiro enquanto crescia?

Aqui estão alguns exemplos: “O dinheiro é sujo”, “O dinheiro é a fonte de todos os males”, “Dificilmente um rico entrará no Reino dos Céus”, “O dinheiro cala a verdade”, “A bondade vale mais que o dinheiro”, etc.

 

Deixo-lhe algumas sugestões:

1-  Conheça as crenças que o estão a limitar nesta área e encontre situações em que essas crenças não se apliquem. Por exemplo: Se uma das suas crenças é que “Os ricos são desonestos”, encontre alguém que conheça e que seja abastado e ao mesmo tempo tenha fortes valores de honestidade e lealdade.

2-  Perceba que na vida nem sempre tem de dizer “OU” e pergunte-se como pode passar a dizer “E”. Quais as soluções que poderão existir num mundo infinito de possibilidades, para viver as duas coisas ao mesmo tempo. Comece a criar as suas novas crenças numa perspetiva de abundância.

3-  Quando definir para si um objetivo monetário, defina um que implique uma consequência não monetária. Comece assim: “Este ano o meu objetivo monetário é”, por exemplo: oferecer uma viagem aos seus pais; contratar uma senhora para ir fazer os tratamentos a casa do seu avô para ele não ter de se deslocar; colocar os meus filhos nas aulas de equitação como eles sempre sonharam; ir com a minha mulher passar o fim de ano no calor; ir com o meu marido a um curso de mergulho como ele sempre quis fazer.

Quando fizer estas pequenas mudanças vai ver a energia do dinheiro a fluir muito mais facilmente na sua vida. Já agora, quando isso acontecer, aproveite para ajudar outras pessoas em seu redor, quem sabe partilhando estas sugestões com elas 😉

Até breve,
A sua Coach
Joana Areias

 

 

16 Comments

  1. 5-31-2016

    muito legal suas dicas amiga, gostei muito.. beijos

  2. 2-21-2016

    Olá Joana!!
    Adorei o artigo e também já escrevi no meu blog sobre esse assunto. Identifico-me com o que diz, para mim é possível as duas coisas. E concordo com o Abílio Samuel sobre o ditado popular “o dinheiro não traz felicidade” mas precisamos dele para pagar os pequenos prazeres que nos fazem felizes.
    Eu também cresci com muitas das crenças sobre o dinheiro, mas descobri que é possível ter estabilidade financeira e trabalhar o lado espiritual, até porque para trabalharmos esse lado espiritual, ajuda muito se tivermos dinheiro, porque como não nos preocupamos com o dinheiro, temos a nossa mente mais disponível para desenvolver o lado espiritual. Quando chegamos a este equilibro a felicidade é imensa!!
    Beijinhos e obrigada por esta reflexão!

  3. 5-15-2015

    Pobrete, mas alegrete! Na vida real não funciona! preferia ser como a Joana. Beijinhos, Maria João

  4. 4-6-2015

    A crença sobre o dinheiro tem a ver com os padrões de vida das pessoas.
    Pessoas que nascem e crescem no meio religioso, de gente com educação tradicional e egocentrista, criam crenças limitantes aos seus seguidores. Para eles o dinheiro não traz felicidade. O impacto que essa crença tem na vida das pessoas é bastante negativo.
    Pessoas que nascem e crescem no meio de gente altruístas, com alto padrão de modelo de consumo. Criam crenças desafiante. O dinheiro está acompanhado com uma relação emocional.
    Por exemplo como diz a Joana. Quero fazer feliz meus filhos, matriculando-os em melhores escolas, levando-os nos melhores lugares de lazer alimentando-os bem. Tudo isso está numa relação emocional dentro de um padrão ligado a minha educação financeira, segundo a qual ( o dinheiro não traz felicidade mas, ajuda a fazer-nos felizes). Só o dinheiro pode pagar a inúmera listas das necessidades que levam a família e a sociedade ao bem-estar.
    A missão do coach é precisamente levar as pessoas a saírem das crenças limitantes para crenças desafiadoras.

  5. 3-25-2014

    O complicado mas não impossível é a mudança de atitude. Ambos são o caminho.
    Obrigado Joana.

  6. 1-19-2014

    Realmente agumas pessoas enxergam o dinheiro como algo negativo. As frases que você citou procedem. Escutei isso por toda a vida,mas nunca analisei dessa forma.O dinheiro pode ser visto por nós, como algo ruim, devido a este aprendizado equivocado. Assim, inconscientemente afastamos ele do nosso caminho. Podemos ser pessoas com um nível espiritual elevado e termos dinheiro.A moeda pode contribuir muito para a nossa felicidade, mas ela não nos dá a garantia dessa felicidade.

  7. 1-1-2014

    Tudo tem um contexto. Por isso é que também acredito no conceito de atividades sociais que podem e devem ser pagas. Como? Com os resultados alcançados. Se conseguimos ajudar as pessoas a encontrar uma fórmula que resulta para elas que as faz ter estabilidade financeira. Se os resultados existem então o serviço tem de ser valorizado e isso só é possível com uma compensação financeira adequada.

  8. 12-12-2013

    olá Joana obrigado pelo artigo, eu penso que as duas coisas são perfeitamente possíveis, e não é a toa que estamos aqui, mas, também penso que o conceito de felicidade é muito amplo, este deve abranger sempre o amor ao próximo.

  9. 12-10-2013

    Olá Joana! Fico feliz entrar em contacto consigo. Suas dicas têm sido bastantes boas para mim. Quanto ao assunto que coloca, o dinheiro não compra a felicidade. Existe gente que é abastada mas que vive numa eterna infelicidade, como também pessoas pobres que vivem numa felicidade.Para mim, gostaria ser feliz com o pouco que possa ter, do que ter riqueza submersa na infelicidade.
    Um abraço e até a próxima

  10. 12-8-2013

    “O errado não é a criação de riqueza, mas o amor ao dinheiro por si só”, Margareth Thatcher, ex-primeira-ministra britânica, conhecida como a “dama de ferro”.
    Eclesiastes. 5:19 E a todo o homem, a quem Deus deu riquezas e bens, e lhe deu poder para delas comer e tomar a sua porção, e gozar do seu trabalho, isto é dom de Deus.

  11. 12-8-2013

    o brigado joana pelas dicas,estou guardando 10% do meu salario esta um pouco apertado sim estou sobrevivendo com seu email fiquei mas feliz.como abrir um negocio para minha renda aumentar.

  12. 12-7-2013

    Olá Joana,Desde muito pequena que ouço muitas frases Como “dinheiro nao nasce na arvore”; “voce tem que se conformar com o pouco porque nem sempre há o suficiente para todos”;”Você esta sonhando muito alto. Acorde! Deixe te cortar as asas porque voce pode cair de muito alto”;Entre Tantas outras disputas pelo dinheiro onde sempre o mais abastardo sempre levava vantagem; eu, na minha terna infancia e inocencia prometi a mim mesma que o dinheiro não teria tanta importancia na minha vida. E acho que isso travou realmente a minha vida. Porque eu lutei, busquei. Fiz tudo que era preciso alcançar uma estabilidade financeira e não consegui ter exito.Agora estou consciente do estrago que eu mesma provoquei. Aquestao é: Como faço, o que devo fazer para mudar esse quadro? Acrescido a isso tive formaçao religiosa em que frisava justo essa frase que o Alberto citou anteriormente:É mais facil um camelo passar por um buraco de uma agulha que um rico entrar no reino dos céus. Jesus Cristo.

  13. 11-28-2013

    Quero ser feliz e abastada. Não sei ainda como, mas com certeza é uma questão de tempo. Obrigada pela dica. “Ambos” é o ideal.

  14. 9-10-2013

    AMBOS. É mais facil um camelo passar por um buraco de uma agulha que um rico entrar no reino dos céus. Jesus Cristo.

    • 12-7-2013

      JESUS NÃO CONDENOU O RICO, JESUS TINHA ALGUNS AMIGOS RICO, COMO O JOSÉ DE ARIMATEIA, QUE POR FINAL JESUS FOI SEPULTADO NA COVA DELE ( JOSE DE ARIMATEIA). TEM TANTOS POBRES RICO DE INVEJA, MALEDICÊNCIA, ORGULHO, LADRÃO E AÍ POR POR DIANTE. AS VEZES O POBRE É RICO MESMO EM MUITAS COISAS BOAS, MAS NAO PASSA PARA NINGUEM E ASSIM POR DIANTE. ENTENDIDO?

      • 12-7-2013

        O PROBLEMA NÃO É O DINHEIRO MAS POR QUEM ESTÁ FAZENDO USO MAL DELE.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *