Não mudes porque te pedem

Não mudes porque te pedem

Tenho escrito e falado muito sobre quão importante é perceberes que não podes mudar os outros para tu ficares bem. Tenho escrito e falado muito sobre a importância de aceitares os outros como eles são e que apenas isso é amar verdadeiramente. Tenho escrito e falado muito de que se alguma coisa te incomoda no outro, isso é projeção, isso é sobre ti. Tenho escrito e falado muito de que responsabilizares os outros pelos teus problemas e pelos teus resultados é o primeiro motivo pelo qual não estás a ter os resultados que precisas e desejas.

Hoje venho falar-te de outra coisa.

Hoje venho falar-te de quando os outros querem que tu mudes para eles ficarem bem. Venho escrever-te sobre quando os outros não te aceitam como és. Venho falar-te sobre quando algo que tu és incomoda outra pessoa. E finalmente, venho escrever-te sobre quando os outros te responsabilizam a ti pelos seus problemas e resultados.

Vamos começar por esclarecer algo muito importante … Tu és perfeito. Ponto. Final. Parágrafo.

Não há nada de errado contigo. E se há alguma coisa que precisa de ser aperfeiçoado em ti (e é natural que haja) então isso é um assunto teu. És tu que decides o que queres mudar em ti e se queres mudar o que quer que seja.

Quando estás numa relação estás a fazer dois convites à pessoa com quem partilhas a tua vida. O primeiro convite é para te fazer feliz. O segundo convite é para participar no teu processo de desenvolvimento como ser humano. Mas é isso mesmo, um convite. Por isso tem de partir de ti e não do outro. Tu é que sabes o que queres mudar e não o outro. E os convites são coisas que nós damos e, por termos dado, podemos retirar quando quisermos. Não são os outros que decidem somos nós.

Volto a dizer, porque nunca é demais, não há nada de errado contigo por muito que te tentem convencer do contrário. Se a outra pessoa acha que sim e tu achas que não, então se calhar (e infelizmente) essa pessoa deveria ir procurar outra relação porque nitidamente não quer estar numa relação contigo. Quer estar numa relação com uma versão de ti que tu não és e possivelmente nunca vais ser.

Se os outros querem que tu mudes para eles ficarem bem isso vai ser um poço sem fundo e quando mudares essa coisinha vai haver outra e outra e outra até que finalmente vais desaparecer e deixar de saber quem és. Quando os outros não te aceitam como és é porque não te amam verdadeiramente a TI, amam outra coisa qualquer que não és tu evidentemente. Quando algo que tu és incomoda outra pessoa ela deve perceber que isso é projeção de algo interno que ela precisa de trabalhar nela, por muito que ela ache que tem razão. E finalmente, quando os outros te responsabilizam a ti pelos seus resultados isso é problema deles e enquanto não começarem a responsabilizar-se pelas próprias vidas não vão ser felizes nunca.

E quando falo da pessoa que te está a tentar mudar não estou só a falar do teu companheiro ou companheira de vida. Estou também a falar dos teus pais, do teu chefe, dos teus amigos e dos teus filhos. Estou a falar de toda a gente porque isto de tentar mudar o outro para “eu” ficar bem parece-me mesmo ser uma epidemia coletiva.

Mas atenção, se essa pessoa da tua vida te tenta mudar, ela é assim mesmo. Tu não deves mudar por isso, mas também não te vale de nada tentares mudar essa pessoa. Ela é assim. Se decidires que queres manter-te nessa relação tens de aceitar que essa pessoa é alguém que está sempre a tentar mudar-te. É uma seca, mas se queres ficar com ela tens de aceitar. Isso é o que se chama amar incondicionalmente. Podemos sempre tentar ajudar o outro a refletir sobre algumas coisas, enviando-lhe este texto por exemplo. Podemos tentar influenciar o outro pelo nosso exemplo. Mas nunca criticar e julgar o outro por ele ser como é. Porque ele também é perfeito. Por isso, tal como te aconselho a não mudares a pessoa da tua vida, aconselho-te a não te mudares por ninguém, só por ti, se quiseres, quando quiseres e nos teus próprios termos.

E acredita que eu sei do que falo porque já estive no papel de quem inferniza a vida do outro e no papel de quem parece que nunca está a fazer nada certo. É um sofrimento que ninguém merece. Mudar isto foi fundamental para ter a vida que tenho hoje. Mas ninguém me pediu, eu mudei porque quis 

Hoje fico-me por aqui para que possas refletir sobre isto, mas digo-te que este tema tem duas partes e que esta foi só a primeira. Nos próximos dias vou partilhar contigo o que falta desta reflexão.

Espero que tenhas gostado, mas se não gostaste, não faz mal … eu não vou mudar … prometo 

Tem um lindo início de semana 
Jo