Voltei e … está tudo na mesma.

Voltei e … está tudo na mesma.

World Trip Day 80 – Agora que o mundo todo (ou quase todo) é a minha casa, claro que tinha de vir visitar o meu Jardim estive uns dias em Lisboa para vir buscar o meu novo companheiro de viagem .

E tenho de confessar … quase 3 meses depois de estar em viagem pelo mundo e receber todas as transformações que a decisão de pôr a minha vida numa garagem oferece, percebi que aqui está tudo na mesma …

Eu sei que isto parece uma crítica, mas não é, de todo. Voltar a Lisboa e encontrar as mesmas caras, os mesmos sítios, os mesmos restaurantes, o mesmo sol, a mesma luz, foi muito bom

E foi muito bom por dois motivos.

Primeiro porque me lembrou de como tenho sorte de ter nascido num país onde posso andar sozinha na rua à noite a passear o meu cão sem ter de olhar por cima do ombro. Tenho a sorte de poder comer em qualquer restaurante sabendo que logo à noite não vou ter os primeiros sintomas de uma gastroenterite . Tenho a sorte de ser parada no trânsito por um polícia que sei que não me vai agredir, ameaçar ou subornar. Tenho a sorte de ter dias de sol a maior parte do ano (apesar do frio e do vento que entra pelos ossos a dentro ). E depois tenho a sorte de ter a ajuda e carinho de pessoas que estão na minha vida há 34, 20, 17, 6 anos. Que bom que estava tudo na mesma!

Depois, em segundo lugar, é bom ter encontrado tudo na mesma porque me mostra como eu já mudei em tão pouco tempo. É incrível como certas coisas causam tanta transformação em ti.

O facto de saberes que não tens para onde voltar. Que daqui a 1 semana, 1 mês, quem sabe 1 ano, ainda não vais estar de volta à tua casa, à tua cama, porque não tens casa, tens tudo numa garagem. O facto de que tudo o que te pertence está dentro de uma mala/mochila e te questionas porque é que alguma vez na vida precisaste de tanta tralha. E mais! A mala vai ficando cada vez mais vazia com a viagem porque percebes que mesmo aquilo que há poucos meses achaste que era essencial afinal já não precisas e só te está a pesar. O facto de perceberes que as pessoas, lugares e experiências que achavas que ias sentir falta nem te passam pela cabeça e outras coisas, pessoas, momentos das quais nem pensavas há meses ou anos te enchem de saudades e nostalgia. O facto de perceberes como és adaptável e que consegues sentir-te basicamente bem em qualquer lado que te disponibilizes a conhecer como deve ser. E claro, a Liberdade que se cria dentro de ti quando percebes que não tens de fazer grandes planos, que nem sabes onde vais estar daqui a 1 mês, 1 semana ou 1 dia. Podes praticamente fazer só aquilo que te apetece a cada momento durante o tempo que te apetecer, principalmente no meu caso que não estou a viver de uma poupança, mas sim do meu trabalho que posso fazer em qualquer parte do mundo. Isto para nomear apenas algumas coisas.

Imagina como tudo isto te pode transformar e a que velocidade. A tua mudança é tão rápida que parece que o que te rodeia está em câmara lenta

Por isso, depois de alguns dias de volta ao jardim, amanhã já volto a voar. O meu lugar agora é no mundo, portanto aí vou eu

Obrigada a ti por estares desse lado e por nos manteres juntos, apesar de longe, lendo, comentando, partilhando desta minha aventura. Até breve!!!!

Jo ♥