Acreditar – Poção Mágica contra o medo de agir

Acreditar – Poção Mágica contra o medo de agir

Uma das melhores coisas que pode acontecer é deparar-se com os seus medos. Não há nada que lhe ensine mais, que lhe dê mais humildade e mais consciência de si próprio do que os seus medos.

É verdade … se pensar bem, há poucas coisas tão poderosas como aperceber-se que está paralisado perante uma decisão fundamental para a sua vida. Estou a falar de situações em que se vê de frente para uma escolha que pode mudar tudo, que pode arriscar tudo ou que pode colocá-lo numa situação muito frágil com a qual não sabe se vai conseguir lidar.

Este é o momento em que pode efetivamente começar um fantástico processo de autoconhecimento e realmente aprofundar a consciência de si e daquilo que até à data o definiu como pessoa. Mas para isso acontecer é necessário que se coloque em causa e tenha a capacidade de analisar muitas coisas sobre si e sobre os reais motivos das escolhas que fez ao longo da sua vida.

Por vezes este processo de autoanálise chega a ser mais complexo do que a tomada de decisão que está em cima da mesa. Isto quer dizer que, mesmo antes de enfrentar qualquer medo, já está a ter de se confrontar com algumas coisas difíceis de engolir … Portanto, para enfrentar este processo é preciso ter, à partida, um parafuso a menos ou, no mínimo, a sua quota parte de loucura e prazer masoquista.

Se está a ler este artigo … vou assumir que faz parte desta categoria e, tal como eu, não joga com o baralho todo e está disposto a entrar nesta aventura 🙂 .

O que o está a impedir de avançar é o “Não acreditar”.

Não acreditar que do outro lado desta decisão está algo positivo. É provável que esteja a associar mais dor ao ato de tomar a decisão do que à possibilidade de ficar como está.

Isto não teria problema nenhum se de facto considerasse que ficar como está é mesmo a melhor decisão, mas nesse caso já não estaria a pensar nisso, já estava decidido e não havia mais nada a refletir sobre o assunto.

A decisão de ficar estaria tomada e ponto final.

Mas nem sempre é isso que acontece. Tomamos a decisão de ficar, de não mudar nada e de manter as coisas como estão e, no final de contas, não estamos em paz com essa decisão. A “Outra opção“, o “E se?” fica às voltas na nossa cabeça como uma tempestade de areia. Isto é o que acontece quando faz uma escolha baseada no medo, quando toma uma “não-decisão”.

A solução para conseguir realmente enfrentar este medo é encontrar algo ou alguém que o ajude a acreditar e, de repente, como se fosse magia, algo dentro de si muda e começa a acreditar novamente que é capaz de tomar essa decisão. Começa a acreditar que tem dentro de si os recursos todos para tomar esta decisão e avançar, mesmo que doa, mesmo que tenha medo.

Por vezes, ter alguém connosco, que acredita em nós mais do que conseguimos acreditar por nós próprios e que nos faz sentir protegidos, é um tesouro precioso que nos ajuda a colocar a armadura e a ir em frente quando tudo o que nos apetecia fazer é fugir.

Por exemplo … Aqui há uns tempos eu perguntava a uma amiga de infância …

“Achas que vou ser capaz?”

… e ela respondeu-me …

“Claro que és capaz! Já viste bem tudo o que já conseguiste fazer na tua vida … tu tiraste 3 cursos, tu trocaste de rumo profissional e mudaste a tua vida completamente, tu até conseguiste aturar o teu irmão! LOL ” ( 🙂 eu amo o meu irmão, mas a verdade é que na adolescência estávamos sempre às “cabeçadas” e esta amiga soube brincar com isso no momento certo :))

Portanto, pode ser a palavra de uma grande amiga, pode ser o sonho simbólico de uma viagem a Bali, pode ser uma aposta com amigos, pode ser ter alguém que vai lá estar, mesmo quando cair, para o ajudar a dar mais um passinho …  Seja o que for, encontre algo … Algo que o faça acreditar que vai ser capaz de lidar com isso e muito mais e … Quem sabe … pode ser que se surpreenda e que afinal seja muito mais fácil do que imaginava.

“May your choices reflect your Hopes, not your fears”, Nelson Mandela

Até breve.
A sua Coach,
Joana Areias
coach@joanaareias.com