Autosabotagem – Uma grande amiga

Autosabotagem – Uma grande amiga

Querida amiga, Autosabotagem:

Há muito tempo que não te via, há mais de um ano para ser precisa.
Devo confessar que pensava que te tinhas ido embora definitivamente e que nunca mais teria o “prazer” da tua companhia. No último ano, aprendi a viver sem ti. Não foi fácil, é verdade. Aconteceram muitas coisas na minha vida pessoal e profissional, mais do que seria possível partilhar contigo nesta carta. Foram meses desafiantes, não vou mentir. Dei muito de mim e abdiquei de muitas coisas para colocar em prática todos os meus planos. Mas, hoje posso dizer-te que estou super Feliz.

Nas últimas semanas, tornei a ver-te e senti que te querias voltar a aproximar.
Apesar da tua ausência, nunca me esqueci de ti … estiveste sempre presente nos meus pensamentos e, muitas vezes, fizeste-te acompanhar do teu primo direito o “Medo”.  Penso que se falasses com ele (“Medo”), ele te diria que tenho andado distante e em certa medida a ignorá-lo de forma evidente. Na verdade, sei que ele está ao meu lado, mas tenho escolhido não lhe dar a importância de outros tempos.

Sabes … tu e o “Medo” foram os meus maiores amigos durante grande parte da minha vida e acompanharam-me tanto nos momentos difíceis como nos momentos surpreendentes e de alegria. Nunca me vou esquecer do que fizeram, do que me ensinaram e da forma como me ajudaram a crescer e a conhecer-me a mim mesma. Mas, escrevo-te esta carta com um objetivo. Sabes como eu sou … gosto sempre de ter um objetivo, mesmo que, no nosso tempo, por vezes fingisse que não me importava com eles.

Com esta carta pretendo despedir-me de ti. Não gosto de despedidas, nem de coisas definitivas, mas neste momento acredito que é o melhor para mim. Vou ter saudades dos tempos em que me ajudaste a ficar calma e a evitar desafios, mas hoje acredito que estou preparada para avançar sozinha. Estou muito grata por tudo o que vivi contigo e graças a ti dou muito mais valor à “Determinação”, agora mais presente na minha vida. Deves saber quem é porque ambas servem a mesma pessoa.

O meu sonho é que um dia, mesmo que me volte a tentar aproximar de ti, tu me digas que já não é possível termos uma relação de amizade. Desejo-te o que de melhor se pode desejar a uma velha amiga e sei que me desejas o mesmo a mim. Prometo não desiludir.

Um beijinho,
Joana